quarta-feira, julho 06, 2011

Dias e noites



Nos dias, como nas noites,
nada agora nos embriaga
nem adormece,
nada nos deixa na noite
acordados,
como morcegos atentos
à madrugada.

Nos dias, como nas noites,
somos já perdidos
de todo o interesse,
nada nos é próximo ou
distante,
nada nos conduz
nem nos faz perder.

Somos só vento e poeira
à espera do momento de desaparecer.

1 comentário:

Sombr|A|rredia disse...

Sabe
bem ler boa poesia :)