segunda-feira, agosto 23, 2010

Poema para enrolar o mar

Provavelmente o mar resiste nos meus olhos
e talvez a cada vez que olhes o mar…,
não.
Provavelmente não.
Provavelmente o mar
há-de morar noutros olhos
e talvez a cada vez que olhes esses olhos onde mora o mar…,
não.
Provavelmente também não.

Provavelmente o mar
que guardas dentro de ti
é um mar mais longe,
um mais distante de nós,
e mesmo quando olhas
esses outros olhos onde mora o mar,
não há nesse mar lugar em que me possas deitar.

2 comentários:

Sombr|A|rredia disse...

A palavra "não" tem aqui um marulhar tão ruidoso...
mas belo :)

Armindo (Vasco) disse...

Provavelmente!

Como se fosse uma certeza!