quarta-feira, abril 14, 2010

Foste

O teu corpo vai pelas ruas,
ainda te vejo a afastar,
e eu tenho saudades tuas,
da pele nublada de luas,
no teu peito a respirar.

Tornas a curva da esquina,
mas permaneces aqui,
trocas as voltas à sina,
diz-me
- agora és feliz?

Não sei que tempo é o teu,
se ainda te perdes pelo céu,
se ainda me gritas o nome,
ou se já tudo se some
onde a alma se perdeu.

Tornas a curva do tempo,
mas permaneces em mim,
é teu este compasso lento,
diz-me
- chegamos ao fim?

2 comentários:

Sombr|A|rredia disse...

Nao sei o motivo, mas li -o como se fosse uma canção :).Aconteceu mesmo uma melodia

Folha|em|Branco disse...

Não.