quinta-feira, fevereiro 22, 2007

Suicídio

Morre-se de noite enquanto os dias
se embriagam de flores azuis




Lá fora o mar estremece de espuma e de cio sobre as rochas.

Se eu abrisse a portada talvez alguém mastigasse o
sofrimento com dentes de fogo
e eu amachucasse, no interior das minhas mãos,
o terrível som do silêncio.

3 comentários:

Sorriso de luz disse...

"Should it hurt to love you?
Should i feel like i do?
Should i lock the last open door
My ghosts are gaining on me..."

Anónimo disse...

Arrepiante o que escreveste





Sopro

Gabriel Mário Dia disse...

Estremeço também!