sexta-feira, maio 15, 2009

Rigor Mortis

(Ao Carlos)


Para que mordêssemos, depois,
a saudade com dentes de ferro
e penteássemos a tua memória
com pentes de prata,
remoendo interiormente
este silêncio tão vazio
do poema onde nos deixaste.

Rigor mortis,
o teu corpo, pedaço lívido
da carne que antes foste,
procurando o céu na imensidão
que lentamente te foi
da sua longa mão desamparando .

Rigor mortis,
a letra
rigorosamente desenhada
pelos teus dedos,
ternamente longa,
elegante,
imaculadamente viva,
as letras todas soletrando
a dança das palavras onde
recriavas o mundo
dessa forma invulgar,
abraçando o pormenor furtivo
da luminosa língua
agora morta.

Chegaremos tarde,
apavorados de morte,
chegaremos tarde ao teu sepulcro
e tarde demais te amaremos.

3 comentários:

natachamascarenhas disse...

Mais belas palavras não poderias ter meu doce Carlos.

natachamascarenhas disse...

Mereces as palavras mais belas que possa existir. Estejas onde estiveres,jamais sairás do meu coraçao, foste a pessoa mais pura, fiel e maravilhosa que conheci. Obrigada por tudo Carlos.... que finalmente tenhas encontrado a paz.

"Os sonhos são pedaços de nós que nos matam devagarinho, são fragmentos de corpos, gotas de lágrimas derramadas, é por eles que vivemos, que lutamos, são os sonhos o nosso combustível para o riso e para o sofrimento.
Como eu gostava de não sonhar, como é premente em mim este desejo de viver sem essas alucinações malditas que me empolam e agoniam. Sonhar é morrer um bocadinho, é deixar entrar em mim essa luz falsa que me aquece e alegra, para logo me deixar perdida, a um passo do abismo.
Peço a Deus que me retire esse órgão mau que permite planar em prados verdejantes, sentir o calor de um amor distante, cheirar o sal molhado de um banho ao pôr-do-sol.
Viver dia a dia o que a vida nos dá sem esperar nada, aceitar todos os momentos sem fazer nenhum plano, jamais ousar em ter algo que não se tem.
Sonhar não é crescer, mas um mal fútil de um ser sem necessidade de correr.
Quero ter-te a ti e não a um sonho, preciso de te abraçar, de te ouvir, preciso do teu amor aqui."

Folha|em|Branco disse...

Nunca é tarde para amar.. mesmo quem já não está mas ficará dentro de nós...*