domingo, setembro 21, 2008

Absurdo


[...]

O teu corpo,
como o meu corpo,
não faz sentido.
Só faz sentido o absurdo
a lamber-me a pele.
Sufocante o vento
que me consome
e me faz acordar todos os dias
para lá do tempo.






"Cadeira Parade"
@Clube Literário do Porto
(até 30 Set.)

3 comentários:

SombrArredia disse...

Amanhã muda o vento.
Muda, pois passará a chamar-se vento de Outono.
Também os pássaros mudarão de rota.

Ricardo Pulido Valente disse...

belo;)

Folha|em|Branco disse...

eish! e o franguinho onde tá? :P